Administradores reclamam de "desprestígio à profissão" em concursos. O que você pensa sobre o assunto?
12/07/201216:23:00
 

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) divulgou recentemente a abertura de um concurso público com vagas para analista e técnico-judiciário. O certame visa preencher 37 oportunidades imediatas e formação de cadastro de reserva para funções de níveis médio e superior.

Das vagas oferecidas, uma é para Analista Judiciário – Área Administrativa, cujos requisitos para concorrer são apenas ter diploma de curso superior em qualquer graduação fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo MEC. Muitos administradores graduados e registrados, entretanto, discordaram do edital, defendendo que as atribuições do cargo são exclusivas da profissão e procuraram o Conselho Federal de Administração (CFA) para falar sobre o assunto.

Segundo o CFA, "essa não é a primeira vez que um concurso público desprestigia o administrador. As últimas seleções realizadas pelo Ministério Público da União (MPU), em 2010, e pelo Senado Federal, em 2012, também ofereceram cargos para Analista Administrativo para candidatos com qualquer formação superior".

"Nesses casos, o CFA tem tomado todas as atitudes cabíveis, inclusive judiciais, a fim de resguardar o cargo de Analista Administrativo para os administradores graduados e com registro no CRA. Contudo, é importante ressaltar que os cargos e salários dos servidores desses órgãos são criados por lei e, para mudar o edital, é preciso modificar a referida legislação que cuida da carreira desses servidores", afirma nota do CFA.


Fonte: administradores.com.br