ÔĽŅ SINDASUL - Sindicato dos Administradores de Mato Grosso do Sul

Por que as empresas erram na hora de avaliar os funcion√°rios
14/11/201214:34:00
 

Todos os meses, praticamente metade das empresas do pa√≠s avaliam seus funcion√°rios. Mas a maneira como essas avalia√ß√Ķes s√£o feitas preocupa: 80% das companhias instaladas no pa√≠s ainda utilizam m√©todos informais para avaliar pessoas, desenvolver l√≠deres, reter talentos e planejar sucess√£o de cargos estrat√©gicos. Isso quer dizer que a meritocracia, na pr√°tica, n√£o tenha sa√≠do da teoria em algumas delas.

 

‚ÄúE isso pode trazer um risco e tanto para as companhias‚ÄĚ, defende Roberto Cunha, diretor executivo da Page Assessment, empresa associada ao Page Group especializada em avalia√ß√£o de talentos e respons√°vel pela pesquisa. O estudo foi feito com 206 diretores e gerentes de companhias de diversos portes instaladas no pa√≠s, 40% delas nacionais e 60% multinacionais.

 

De acordo com Cunha, sem uma avaliação bem feita fica impossível qualquer empresa gerenciar corretamente seu capital intelectual. Além do que, a companhia fica mais suscetível a cometer erros na gestão de pessoas, seja com a perda de talentos ou com a promoção de pessoas menos capacitadas para cargos estratégicos.

 

‚ÄúEssas ferramentas permitem conclus√Ķes mais assertivas e tomada de decis√Ķes baseadas em resultados e n√£o em impress√Ķes pessoais individualizadas‚ÄĚ, explica o consultor. Em outras palavras, criar um m√©todo de avalia√ß√£o baseado em metas claras e diretrizes faz com que um bom funcion√°rio seja reconhecido, mesmo que seu chefe direto n√£o goste dele, nem seja seu amigo.

 

Essa falta de uma avaliação melhor embasada para capacitar pessoas faz com que o futuro de muitas companhias e de muitas carreiras possa estar em risco, acredita Cunha. Para ele, é preciso que as empresas passem a levar a sério o desafio de gerir e manter pessoas talentosas, ainda mais em um cenário cada vez mais competitivo.

‚Äú√Č preciso identificar os talentos de cada profissional, agrup√°-los nas √°reas estrat√©gicas da empresa e envolv√™-los com a estrat√©gia do grupo por meio de um plano de carreira atrativo‚ÄĚ, analisa o executivo.

 

Veja os principais pontos levantados na pesquisa:

 

As empresas n√£o avaliam direito porque...

  • N√£o h√° hist√≥rico dos motivos que levaram funcion√°rios a sa√≠rem da empresa
  • Falta inova√ß√£o nas pr√°ticas de Recursos Humanos
  • Investimentos s√£o baixos para a √°rea de gest√£o de pessoas
  • resultados das ferramentas de avalia√ß√£o n√£o s√£o analisados

 

Com a avaliação elas teriam...

  • Mais assertividade nos processos seletivos
  • Efici√™ncia para definir como atrair, reter e treinar
  • Prioriza√ß√£o de a√ß√Ķes que tragam resultados de curto prazo
  • Dados precisos sobre a equipe para decis√Ķes em caso de expans√£o
  • Meritocracia, al√©m de pessoas mais capacitadas.

 

 

 

Fonte: Exame