Governo vai investir R$ 6,7 milhões em centro de educação profissional para 1.200 alunos em Naviraí
29/05/201208:54:00
 

 O governo do Estado concluiu a licitação e vai começar a execução das obras do Centro de Educação Profissional em Naviraí. O governador André Puccinelli assinou a Ordem de Início de Serviço nesta segunda-feira (28) e anunciou a abertura de 1.200 vagas de formação profissional na unidade. A previsão é que o prédio esteja pronto para começar a funcionar em março do ano que vem, de acordo com a secretária de Estado de Educação, Nilene Badeca.

 Para realizar o projeto da edificação, o governo estadual conseguiu aprovar convênio e viabilizar R$ 5,8 milhões do Ministério da Educação, através do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Além disso, vai investir recursos próprios no montante de R$ 918,5 mil, totalizando R$ 6,7 mil nas obras físicas da unidade. “Este vai ser um centro de educação em nível de segundo grau e vai dar oportunidade para que 1.200 alunos aprendam uma profissão”, afirmou o governador.

 A Secretaria de Estado de Educação tem uma avaliação prévia, mas a definição de quais cursos serão oferecidos vai depender de um levantamento de demanda na região, para atender a real necessidade de Naviraí e municípios vizinhos na oferta de emprego. “Vamos oferecer a formação de acordo com o mercado”, explicou a secretária Nilene Badeca.

 O prefeito de Naviraí considerou este um dos mais importantes investimentos realizados pelo Estado no município. “Vai profissionalizar muitas pessoas em diversas atividades. Será muito importante”, avaliou Zelmo de Brida.

 Esse modelo de centro também vai ser construído em Dourados e Chapadão do Sul. Os processos licitatórios já estão em conclusão e os recursos a serem aplicados são semelhantes aos de Naviraí. Além disso, anunciou Puccinelli, em outros seis municípios o governo vai construir escolas para ensino regular, mas que também poderão oferecer ensino técnico: Dourados, Três Lagoas, Ponta Porã (Fazenda Itamarati), Bataguassu, Nioaque (em um assentamento) e Amambai. Nesse segundo modelo de projeto, cada unidade tem custo estimado de aproximadamente R$ 3,2 milhões, conforme a SED. O investimento também é fruto de convênio com o FNDE.

Fonte: Notícias MS 

Foto: Edemir Rodrigues